O Novo RH: Confira estudo inédito no Brasil

Novo RH - estudo inédito

A TiqueTaque, em parceria com a Convenia, construiu um estudo com a colaboração de 269 profissionais de RH de diversas regiões do Brasil para apresentar como será o novo RH, que surge após os impactos da pandemia no setor de recursos humanos.

A pesquisa tinha como objetivo entender os impactos da pandemia no RH e quais são as perspectivas de futuro para o setor a partir disso. Aplicada no mês de março de 2021, a pesquisa conta com 57 perguntas sobre a visão do profissional em relação ao setor de recursos humanos na empresa durante a pandemia.

Faça agora mesmo o download do report com os resultados completos da pesquisa

O novo RH é à distância?

A pandemia da Covid-19 impactou diretamente na gestão das pessoas dentro das empresas e o setor de RH teve que se adaptar para atender às novas necessidades. Uma das principais mudanças foi a migração da jornada presencial para o home office. 

Embora 20,4% dos respondentes afirmam que a empresa manteve as atividades presenciais — pois não são todas as funções que podem ser exercidas à distância — outros 48,3% relatam que a empresa onde trabalham adotou o home office, e 31,2% afirmam que a opção da empresa foi implantar a jornada híbrida, que é a alternância entre o presencial e o home office.

Essa mudança nas empresas é um dos pontos chaves para o futuro dos profissionais de recursos humanos. O novo RH será, em grande parte, executado de maneira remota.

Mas como os profissionais do setor de recursos humanos conseguem atender às necessidades estando distantes da empresa? A resposta para essa pergunta é evidente: com o apoio da tecnologia.

A tecnologia é o normal do novo RH

A tecnologia vem sendo cada vez mais presente no setor de recursos humanos, pois ajuda a otimizar processos de departamento pessoal considerados burocráticos.

Um exemplo desses processos é a admissão de funcionários. A pesquisa mostra que a maioria absoluta dos respondentes passou a realizar a admissão de funcionários de forma inteiramente digital desde o início da pandemia de Covid-19.

Enquanto 15,4% dos respondentes afirmam que a empresa já utilizava um processo totalmente digital antes, 46,15% afirmam que todos os processos foram digitalizados dado o contexto.

Ou seja, o novo RH é digital e podemos dizer que o futuro da profissão depende disso, afinal, controlar todos os processos de maneira remota sem o auxílio da tecnologia é praticamente inviável.

Home office não deve significar mais trabalho

Os dados da pesquisa revelam que 41,5% das empresas suspenderam o controle de ponto ao adotar o home office. Não ter um controle sobre os horários de entrada e saída dos colaboradores pode resultar em excesso de trabalho.

Muitas vezes, o controle de ponto é visto como uma forma de vigilância sobre os colaboradores. Mas, na verdade, o principal objetivo desse processo é evitar o excesso de horas extras no trabalho.

É lei, no Brasil, realizar algum tipo de controle de ponto nas empresas com mais de 20 colaboradores. Essa obrigatoriedade está evidenciada na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

A pesquisa mostra que a maior parte dos respondentes cumpriu uma carga horária diária maior do que foi proposto contratualmente. Em uma escala de 1 a 5, 42,3% dos profissionais de RH marcaram o nível mais alto para mostrar que estão trabalhando mais do que o proposto em seus contratos de trabalho.

Portanto, para que o futuro não seja de excesso de trabalho (que impacta na saúde e desempenho dos colaboradores) é preciso que as empresas adotem um controle de ponto, seja no modelo de jornada presencial, híbrido ou, principalmente, no home office.

O futuro do RH e gestão de pessoas

Nos três tipos de jornada (presencial, híbrido e home office), é consenso entre os respondentes que o setor de recursos humanos teve ainda mais importância na empresa em 2020, ano que se iniciou a pandemia de Covid-19.

Em uma escala de 1 a 5, a nota 5 sobre o aumento dessa importância foi maioria no formato de jornada híbrido — com 58,3% — e também no home office, com 58,5%.

Isso ecoa no futuro da profissão, pois os profissionais de RH respondentes majoritariamente acreditam que o setor de recursos humanos terá cada vez mais importância daqui pra frente: são 63,6% do formato presencial; 75% do formato híbrido e 70,8% do home office.

Em relação à visão mais tecnológica sobre o futuro do RH, as empresas que adotaram o formato híbrido e o home office são as que mais concordam que o setor de recursos humanos será 100% digital. Enquanto isso, as empresas que mantiveram o funcionamento presencial não possuem a mesma certeza.

Dos respondentes que estão em home office, 40,8% concordam plenamente que o RH será 100% digital no futuro. 

Jornada de trabalho flexível e foco na saúde mental

Em geral, o trabalho remoto permite uma maior flexibilidade de jornada. Afinal, é possível ter um equilíbrio maior entre a vida profissional e pessoal, evitando o prejuízo salarial em casos de imprevistos, por exemplo.

É justamente por isso que 56,1% dos respondentes que estão em home office concordam que a jornada de trabalho será mais flexível daqui pra frente. A maioria daqueles que adotam o formato híbrido também concorda — são 39,3% dos respondentes dessa categoria.

Essa jornada mais flexível colabora para que os colaboradores de cada empresa mantenham uma vida mais saudável. Porém, os dados da pesquisa revelam que a expectativa é de que o número de profissionais com estresse ou ansiedade por causa do trabalho irá crescer — e junto com isso o investimento na saúde mental.

Daqueles que estão em home office, 39,2% acreditam que os funcionários terão mais estresse e ansiedade. Isso pode estar diretamente ligado ao excesso de horas de trabalho que os profissionais que trabalham remotamente possuem. Isso nos mostra, mais uma vez, a importância de controlar o ponto dos colaboradores, conforme vimos anteriormente.

Em contrapartida, a expectativa da maioria dos profissionais de RH em todos os formatos de jornada é de que haverá sim um aumento no investimento na saúde mental dos colaboradores. Isso é sinal de que as empresas e, principalmente o setor de recursos humanos, estão preocupados com a saúde das pessoas.

Os impactos que a pandemia de Covid-19 trouxe irão ecoar por muito tempo no setor de recursos humanos, moldando esse novo RH, que contribui para a melhoria da relação entre empresa e colaboradores, gestores e até mesmo com a sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image