Turnover: Tudo que você precisa saber

capa blog turnover

Guia Completo sobre a taxa de rotatividade em uma empresa

Turnover é a taxa de rotatividade de uma empresa. Ou seja: A média de admissões e demissões em determinado período. 

A taxa de turnover pode dizer muito sobre a saúde da empresa. Apesar de saídas e entradas em uma empresa ser comum, quando as taxas de rotatividade estão muito altas, pode ser um indicativo de problemas internos. 

Além disso, alto índice de turnover tem um alto custo para a empresa. E não estamos falando apenas de verba rescisória – há também o custo de recrutamento e seleção, treinamento de um novo funcionário e o tempo que isso vai custar, por exemplo.

Como você pode perceber, acompanhar a taxa de turnover da sua empresa é bem importante. E para você entender tudo sobre isso, nós vamos conversar sobre:

  • Os tipos de turnover
  • As causas mais comuns desse problema
  • Como calcular a taxa de turnover
  • Medidas que evitam altas taxas de turnover

Pegue seu café e vamos começar nossa conversa.

Os tipos de turnover

Atualmente, definimos o turnover em quatro categorias, sendo elas:

  • Voluntário: É quando o colaborador pede o afastamento, porque está insatisfeito com a função, remuneração ou gestão.
  • Involuntário: Nesse caso, o pedido de afastamento parte da empresa, geralmente por baixo rendimento do funcionário.
  • Funcional: Aqui o funcionário pede a demissão, porém, esse afastamento já estaria nos planos da empresa. Muitas vezes o colaborador está apresentando baixo rendimento.
  • Disfuncional: Por outro lado, o turnover disfuncional acontece quando um colaborador de alto rendimento e retorno para a empresa pede demissão.

Seja como for, a primeira coisa a se fazer quando ocorre o turnover, é descobrir quais as causas desse problema. E é sobre isso que vamos falar agora.

Leia também: Absenteísmo no trabalho: tudo que você precisa saber

As causas mais comuns desse problema

Entender o que levou ao turnover é crucial para a resolução de um possível problema. Afinal, o turnover involuntário e disfuncional pode indicar problemas de recrutamento e seleção, assim como um turnover voluntário e disfuncional demonstra uma dificuldade de reter talentos na empresa. 

Sem dúvidas, existem coisas que fogem do controle da empresa quando se trata em turnover. Por isso existem três categorias de causas:

  • Controláveis: São causas que podem ser evitadas ou remanejadas pela empresa. Vamos falar sobre elas mais à frente.
  • Semi controláveis: Aqui entram situações externas, como alta demanda de mão de obra no mercado, que leva ao aumento do número de ofertas de trabalho para o empregado, ou problemas como baixo rendimento de funcionário, maus hábitos, e conflitos internos.
  • Incontroláveis: Já, nesse caso, se encaixam afastamento por doenças, além do falecimento de um funcionário.

No caso de causas controláveis e semi controláveis, existem algumas situações que geralmente são encontradas quando se faz um estudo do turnover em empresas que estão com problemas.

Metas surreais

É claro que as metas são importantes e devem fazer parte da rotina da empresa. Mas, algumas vezes, os gestores acabam estipulando metas absurdas e inalcançáveis, o que faz com que os colaboradores se sintam frustrados e sobrecarregados pela maior parte do tempo.

Leita também: Portarias 1510 e 373: principais diferenças

Salários e benefícios incompatíveis

Nesse caso, a incompatibilidade pode ser tanto com relação ao mercado, quanto à função que o colaborador exerce. Se o funcionário está cumprindo mais funções do que está em seu contrato, por exemplo, ele pode se sentir insatisfeito com a remuneração.

Cultura organizacional tóxica

Cultura organizacional é o que rege a rotina da sua empresa. Dessa forma, em alguns casos essa rotina se torna desagradável, seja por fofocas, problemas de comunicação, favoritismo de colaboradores ou outros tipos de conflitos internos.

Seja como for, isso é um problema sério! Trabalhar em um ambiente negativo, onde o colaborador não se sente confortável para desempenhar sua função, reduz a satisfação e o engajamento dele na empresa.

Gestores inalcançáveis

É muito importante que o colaborador se sinta ouvido na empresa. Por isso, quando o gestor é fechado e não busca manter um diálogo saudável com seus subordinados – apenas repassa informações e tarefas – os colaboradores tendem a se desmotivar. 

Esse tipo de gestão costuma a trazer muito mais demissões para a empresa do que resultados positivos. Sendo assim, aprenda a ouvir.

Sem plano de carreira

Sem dúvidas, é muito difícil se sentir motivado a realizar uma atividade ou permanecer em uma empresa quando não se tem perspectiva de crescimento no futuro.

Nesse sentido, a falta de um plano de carreira (também conhecido no ramo de RH e DP como Descrição de Cargos e Salários) faz com que o colaborador se sinta inseguro e estagnado, sem saber se terá a oportunidade de se desenvolver na empresa.

Sobrecarga de funções

Se a demanda da empresa está maior do que o número de funcionários consegue atender, as funções inegavelmente começam a se acumular e sobrecarregar esses colaboradores. 

Além de gastos adicionais com horas extras, essa sobrecarga afeta diretamente na qualidade dos produtos e serviços ofertados pela empresa.

Como calcular a taxa de turnover?

Bom, aí depende do que você quer saber com esse cálculo. Vamos falar sobre três situações diferentes, pois assim fica fácil de encaixar os dados da sua empresa e descobrir dados relevantes para você.

Média geral de turnover

Nesse caso, você calcula a taxa geral de turnover em determinado período.

fórmula para calculo de turnover

Por exemplo: uma empresa quer saber qual a sua taxa de turnover no período de 1 ano. Nesse intervalo, foram 15 admissões e 8 demissões. No total, a empresa tem 200 funcionários. Sendo assim, o cálculo é:

15 admissões + 8 demissões = 23

23/2 = 11,5 (média de rotatividade)

11,5 / 200 (funcionários totais) = 0,057

0,057 x 100 = 5,75% de turnover total

Porcentagem de desligamentos

Aqui, você precisa de um levantamento do número de funcionários desligados durante determinado período.

fórmula para cálculo de turnover de desligamentos

Para exemplificar, imagine que uma empresa de 200 funcionários teve 36 funcionários demitidos, no período de 1 ano. Então, para calcular a taxa de turnover, seria: 

36 demissões / 200 funcionários totais = 0,18

0,18 x 100 = 18% de turnover

Eficácia de admissões

Será que as contratações realizadas estão sendo efetivas? Para calcular a taxa, você precisa saber qual é um período considerado proveitoso para a que o funcionário entre e saia da sua empresa. Nesse caso, o cálculo é:

Como exemplo, imagine que uma empresa com 200 funcionários, quer saber a efetividade de contratação em um período de 6 meses. Então, levantando todos os funcionários com menos de 6 meses de contratação que foram demitidos, somam-se 7 desligamentos. Dessa forma, o cálculo seria:

7 desligamentos com menos de 6 meses de contrato / 200 funcionários totais = 0,035

0,035 x 100 = 3,5% de turnover

Como saber se minhas taxas de turnover estão altas?

Bom, para isso, você precisa analisar a política da empresa, além de entender a dinâmica do mercado em que ela está inserida.

Sem dúvidas, a taxa de turnover geral, de efetividade de contratação ou de desligamentos, depende muito de vários fatores, e por isso é particular de cada empresa.

Medidas que evitam altas taxas de turnover

Muitas vezes, os problemas que aumentam as taxas de turnover na empresa podem ser facilmente resolvidos.

A retenção de talentos na empresa tem diversos benefícios: maior produtividade, engajamento de funcionários, otimiza os resultados e, por consequência, melhora a qualidade de produtos e serviços ofertados para o mercado.

Afinal, todo bom gestor sabe: uma empresa é feita de pessoas. E se nem quem está dentro da sua empresa estiver satisfeito, porque seus clientes estariam? 

Então, foque em algumas medidas para evitar que as taxas de turnover subam, como por exemplo:

  • Sempre disponibilize os recursos necessários para que os colaboradores desenvolvam suas funções,
  • Crie um ambiente de trabalho agradável e confortável 
  • Mantenha um diálogo aberto entre gestores e colaboradores, a partir de uma política de feedbacks de duas vias: de gestores para colaboradores, mas também o contrário. 
  • Tenha cuidado com o recrutamento e seleção. Experiência e currículo são importantes, mas entenda também qual é o perfil de funcionário que se encaixaria na cultura da sua empresa.
  • Ofereça treinamentos e invista no desenvolvimento dos seus colaboradores.
  • Se certifique que a remuneração e política de benefícios estão compatíveis com o mercado, considerando áreas e funções. 
  • Automatize funções operacionais! Além de evitar erros devido tarefas repetitivas, seus colaboradores tem mais tempo disponível para atuar de forma estratégica nas suas funções.
  • Sempre faça entrevistas de desligamento. Assim, você consegue entender o que levou uma pessoa a sair da sua empresa, seja isso voluntário ou involuntário. 
  • Estude as entrevistas de desligamento, pois só assim você consegue entender os motivos da taxa de turnover da sua empresa, e também entender como pode atuar para melhorar esses pontos.

Entendeu como as taxas de turnover são relevantes para você?

Quando há um desligamento na empresa, o funcionário que sai leva com ele todo seu conhecimento e experiências, e isso afeta diretamente o capital intelectual da empresa. 

Em conclusão, empresas com problemas de turnover acabam enfrentando também outros problemas como consequência, desde a desmotivação da equipe até prejuízos para a própria reputação da empresa.

Sendo assim, esteja sempre atento!

Tem alguma dúvida? Mande a sua pergunta e vamos conversar 🙂


Quer facilitar a Gestão de Ponto na sua empresa? A TiqueTaque é uma solução intuitiva e moderna para gerenciamento de ponto e jornada de trabalho. Saiba mais!