Como fazer um desligamento humanizado?

Desligamento Humanizado

O rompimento do vínculo trabalhista é um dos momentos mais delicados da jornada trabalhista. Afinal, ele pode ser desconfortável tanto para a empresa como para o colaborador. Mas há como tornar essa experiência mais leve aos envolvidos por meio do desligamento humanizado

Quando o assunto é comunicar uma demissão, é interessante levar alguns pontos em consideração para a manutenção de um bom clima organizacional. 

O mais importante deles é que antes de pessoas colaboradoras, estamos falando com pessoas. Pessoas que se dedicaram à empresa. Pessoas que diariamente estavam disponíveis para ela. Então é sempre importante que esse vínculo não seja ignorado na hora do desligamento.  

É por isso que ao longo deste artigo vamos falar sobre o que é e como fazer um desligamento humanizado. Assim como sua importância na conquista de um clima organizacional saudável. Continue a leitura para ficar por dentro dessa prática. 


O que é um desligamento humanizado?

O desligamento humanizado é um processo focado em minimizar impactos e atritos entre as partes. Quando há sucesso em sua aplicação, ele faz com que o profissional se sinta valorizado mesmo diante dessa situação desconfortável. Assim, é um dos elementos mais importantes na execução de um offboarding assertivo de colaboradores.

Sabemos que a demissão pode mexer com sua autoestima, confiança e com o estado psicológico do colaborador. É uma situação que desestabiliza, gera estresse e preocupação. Inclusive do ponto de vista financeiro. 

Neste sentido, quando não é praticado o desligamento humanizado, há ainda a possibilidade de que a demissão se torne motivo para processos trabalhistas.

No entanto, o desligamento de uma pessoa colaboradora nunca impacta apenas a ela. O processo envolve tanto as pessoas que trabalhavam diretamente com o profissional, como pessoas de seu convívio, tais como: 

  • A equipe e o gestor que atuavam com o profissional;
  • O profissional de DP que efetiva o desligamento de colaborador;
  • Colegas de trabalho;
  • Dependentes do colaborador, como seus filhos e cônjuge. 

Uma única demissão impacta todos esses agentes. É aqui que entra a importância do desligamento humanizado. Com ele, o processo demissional torna-se mais ameno, pois a empresa demonstra empatia e preocupação com a pessoa que contribuía com ela. 

Em suma, trata-se de um processo de demissão conduzido de maneira humana e cuidadosa, respeitando o profissional e sua caminhada dentro da empresa


Quais são os benefícios do desligamento humanizado?

A seguir, vamos conhecer de maneira mais aprofundada os benefícios de adotar o desligamento humanizado para os principais envolvidos nesse ciclo.  

Benefícios ao colaborador 

Observa-se neste sentido que um bom relacionamento entre empresa e colaborador é um dos maiores benefícios decorrentes do desligamento humanizado. Até porque nem todo vínculo de trabalho se rompe por causa de problemas. É comum a ocorrência de demissões não intencionais, como aquelas motivadas por crises, cortes de gastos ou até de funções. 

Se o desligamento de colaborador é conduzido de maneira humana, há grandes chances de que ele compreenda as motivações da empresa. Inclusive, sua ocorrência pode estimular uma possível recontratação no médio ou longo prazo. 

No caso acima, o colaborador segue sentindo-se valorizado. Ele entende que a demissão é motivada por necessidade e não necessariamente por sua atuação, performance ou domínio técnico. 

Ou seja, a manutenção da autoconfiança, segurança e autoestima também são reflexos dos benefícios observados no desligamento humanizado. 

Benefícios para a empresa 

De acordo com a FIA Employee Experience (FEEx), uma organização que reconhece os melhores lugares para se trabalhar no país, 96% das empresas certificadas realizam entrevistas de desligamento de maneira estruturada e formal. O que mostra que o desligamento humanizado beneficia não só os colaboradores, mas também a empresa.

Entre os principais reflexos positivos para a organização, destacam-se os seguintes: 

  • Melhora da reputação da empresa: traz visibilidade positiva e agrega valor à marca, o que também contribui para maior retenção de colaboradores internos. Inclusive, pode ser um aliado na obtenção do selo Great Place to Work (GPTW); 
  • Boas avaliações em sites como o Glassdoor, que criam parâmetros interessantes que podem ajudar a empresa a melhorar o employer brand e atração de talentos; 
  • Gera confiança e estimula a convivência saudável entre os que ficam: com isso, as métricas de engajamento e o clima organizacional melhoram. Por outro lado, indicadores de turnover e rotatividade tendem a cair;
  • Menores riscos: processos de demissão humanizada são transparentes e agradáveis. Assim, diminui-se o risco de danos à reputação da empresa e envolvimento em processos trabalhistas;
  • Responsabilidade social e valores são fortalecidos: a prática pode aumentar a percepção externa de que essa é uma empresa que preza pelas pessoas. 

Com benefícios a todos os envolvidos, motivos definitivamente não faltam para você adotar o desligamento humanizado na sua empresa. A seguir, veja dicas de como aplicá-lo.


Dicas para realizar um desligamento humanizado

Até agora te apresentamos o conceito de desligamento humanizado e você compreendeu os maiores benefícios da sua aplicação. Chegou a hora de conferir como implementá-lo na prática em seu RH.  

Prepare bem a reunião

Assim que a decisão pelo desligamento for tomada, é hora de planejar como comunicá-la ao colaborador. 

Um primeiro passo indicado é reunir os documentos necessários para que seja possível dar andamento ao processo. Além disso, também deve-se aprofundar nos direitos da pessoa colaboradora e valores que deverão ser pagos a ela na rescisão contratual. 

Em seguida, é hora de decidir como realizar a entrevista de desligamento. Aqui é preciso decidir o local mais adequado para fazer o anúncio. Na própria empresa, por reunião remota, em um almoço ou café da tarde?

A resposta para essa pergunta depende das características da instituição. Por exemplo, se a empresa possui ou não um local reservado que garanta a privacidade durante o comunicado.

Lembrando ainda que esse processo deve ser sigiloso até que o colaborador saiba da demissão. Dados vazados previamente são prejudiciais à reputação da organização, além de contribuir para abertura de processos trabalhistas.  

Faça o anúncio pessoalmente

Algumas empresas fazem o anúncio da demissão por telefone ou e-mail ou ainda terceirizam o processo demissional. Neste caso, o gestor direto do colaborador e/ou a pessoa que ele mais tinha contato não participa do momento. 

Assim, a condução do processo pode se tornar fria, visto que a pessoa colaboradora não recebe as informações diretamente de quem a gerenciou na empresa. Ela fica sem a oportunidade de entender completamente o que motivou o desligamento. Por isso, entende-se que essa é uma atitude que desvaloriza o profissional. 

No entanto, se a empresa trabalha no modelo home office, nem sempre é possível fazer o anúncio de demissão pessoalmente. Uma vez que o colaborador pode morar em uma cidade diferente da sede da empresa. Neste caso, formalize o processo em uma reunião on-line com os principais responsáveis pela decisão.  

Tenha cuidado com as palavras

Prepare um discurso gentil, conduzido de maneira leve, humana e delicada. Afinal, a forma como se comunica uma mensagem é tão importante quanto seu conteúdo.

Mantenha a calma, tomando cuidado para não atropelar as palavras. Explique ao colaborador todos os pontos e razões que estimularam a sua demissão. Ele provavelmente terá muitas dúvidas. Prepare-se previamente para respondê-las, demonstrando empatia.

Neste ponto, inclusive, é importante se preparar para aquelas perguntas que podem gerar mais atrito.

Por fim, também estude e se prepare para falar ao colaborador sobre todos os seus direitos, como valores devidos de férias, dias trabalhados, seguro desemprego, pois ele certamente terá essas dúvidas.  

Prepare uma carta de demissão

Outra ferramenta que pode ser utilizada neste contexto é a carta demissional. Nela você pode elencar os motivos para a demissão seguindo as mesmas práticas da entrevista de demissão. 

Se optar por entregar este documento ao colaborador, é indicado que o setor jurídico da empresa o revise previamente.  

Reconheça o trabalho do profissional

Independentemente do que tenha motivado a demissão, é importante aproveitar esse momento para ressaltar o valor daquela pessoa colaboradora

Reconheça pontos positivos do colaborador, elencando suas fortalezas e como elas podem auxiliá-lo na recolocação profissional. A propósito, você também pode se mostrar disponível para ajudá-lo neste sentido, como ao entregar uma carta de recomendação para ele, por exemplo. 

Aproveite a entrevista de demissão para trazer exemplos práticos de como aquele profissional contribuiu para o desenvolvimento da empresa. Enumere suas qualidades profissionais e pessoais e aumente a sua autoestima em um momento que por si só já é muito delicado. 

Por fim, mas não menos importante. Deixe claro o real motivo para que ele não seja mais um integrante da instituição. Afinal, qualquer mal entendido aqui pode ser prejudicial para a empresa, tanto ao enfrentar processos trabalhistas como em relação à sua própria credibilidade.


Sobre a Convenia

A Convenia é uma HR Tech com soluções voltadas para otimização de tempo e custos das empresas. Nasceu há alguns anos, com o objetivo de trazer alta tecnologia para o setor de RH, de forma acessível e prática.

Desde então, trabalha fortemente para que os produtos evoluam junto com os clientes, pois compreendem que, diminuindo o tempo gasto com rotinas operacionais, as empresas têm mais tempo para as pessoas. Atualmente as soluções abrangem admissão digital, férias e departamento pessoal, onde você pode gerir todo seu time em um sistema em nuvem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enter Captcha Here : *

Reload Image