Banco de horas x horas extras: entenda as diferenças

A gestão de funcionários é tarefa desafiadora para empresas de todos os portes. O controle preciso do ponto é prioridade para evitar dor de cabeça e problemas com a lei, especialmente se tratando de horas trabalhadas para além da jornada normal. No embate entre banco de horas x horas extras, você sabe qual se sai melhor?

No post de hoje, nós simplificamos as vantagens e desvantagens de cada conceito, para que você possa aplicá-los de forma eficaz em sua empresa, entendendo qual opção adotar no seu caso. Confira nossas dicas e garanta o sucesso na gestão do seu negócio!

Banco de horas x horas extras: o que significa cada um

Horas extras

Amplamente conhecida pelos brasileiros, a chamada hora extra ocorre quando o empregado desempenha suas funções para além de sua jornada diária, que pode ser de, no máximo, 8 horas diárias e 44 horas semanais, incluindo seu horário de descanso no trabalho.

Segundo determina a lei, o funcionário só poderá cumprir duas horas extras por jornada de trabalho diária, o que deverá constar no acordo realizado entre as partes, e deve ser remunerado em pelo menos 50% a mais em relação ao valor da sua hora normal.

Banco de horas

O banco de horas é uma inovação trazida pela lei 9.601 de 1998 (que alterou a Consolidação das Leis Trabalhistas). Ela flexibiliza o contrato de trabalho, possibilitando que o empregado, mediante acordo prévio a ser ratificado pelo sindicato da classe, crie uma espécie de “conta” (um banco, propriamente dito) para compensar horas trabalhadas a mais em sua jornada diária posteriormente, no período máximo de um ano, como prolongamento de férias, folga ou antecipação do fim do expediente.

Banco de horas x horas extras: vantagens e desvantagens

O banco de horas foi implantado quando o país atravessava um momento de crise, assim como nos dias atuais. A flexibilização do contrato de trabalho desta maneira permite ao empresário utilizar o serviço de seus colaboradores de acordo com sua real necessidade, em momentos de alta e baixa produtividade do negócio, evitando, ainda, que o empregado seja dispensado ou explorado.

Por outro lado, é interessante a utilização das horas extras nos momentos de alta produtividade da empresa (em longos períodos), já que, desta forma, o valor pago a mais ao funcionário será plenamente aproveitado e não será um ônus muito maior no fim do mês. 

O banco de horas tende a ser mais vantajoso no cotidiano da empresa, mas ambas as possibilidades constituem formas de alavancar a motivação de seus colaboradores e melhorar o clima organizacional de toda a corporação, já que os empregados têm a certeza de que permanecerão empregados e estarão recebendo a mais ou descontando as horas trabalhadas além do expediente em um futuro próximo.

Banco de horas x horas extras: controle de ponto dos funcionários

O controle do ponto é, portanto, essencial para a manutenção tanto do banco quanto das horas extras, já que a má gestão do sistema pode ocasionar processos e sair mais cara do que o devido pagamento inicial ao funcionário.

Conte com o auxílio de sistemas automatizados para conferir mais segurança a todo o procedimento, assegurando transparência também ao trabalhador de forma simples e eficaz!

Entendeu as diferenças entre banco de horas x horas extras ou ainda tem alguma dúvida? Compartilhe conosco, deixe o seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image