Cultura organizacional: o que é e por que pode melhorar seus resultados

capa do artigo sobre cultura organizacional

A cultura organizacional é a forma com que a empresa age e se apresenta, tanto para seus stakeholders quanto para o mercado em geral.

A cultura organizacional é um conjunto de características presentes na empresa e que fazem parte da rotina, principalmente hábitos, crenças, valores e comportamentos compartilhados entre os colaboradores. 

Ou seja, podemos dizer que a cultura organizacional é a personalidade do seu negócio, o que diferencia a sua empresa de outras do mesmo ramo, por exemplo. 

Sendo assim, isso vem cada vez mais se transformando em um grande diferencial competitivo, e é um recurso estratégico importante para definir como a empresa se comunica com clientes, com o público interno e com stakeholders em geral. 

Inclusive, um negócio que não investe e valoriza seu público interno tem dificuldade em alcançar objetivos desejados, já que os funcionários não se sentem motivados a buscar os melhores resultados em suas funções.

Continue sua leitura e vamos entender melhor como isso funciona 🙂

A importância da cultura organizacional positiva

Atualmente, não é apenas o dinheiro que motiva uma pessoa a aceitar uma proposta de emprego, ou até mesmo incentiva um funcionário a continuar trabalhando na mesma empresa. 

Não me entenda mal: não estou dizendo que o salário ofertado não importa. Importa sim, mas não é o único fator decisivo. Cada vez mais, a saúde mental e o bem-estar estão sendo valorizados por trabalhadores, e isso está ligado diretamente à uma cultura organizacional positiva. 

Isso acontece porque trabalhar em um lugar tranquilo, agradável e que reflete nossa visão de mundo nos motiva a enfrentar desafios, aumentando o engajamento e a produtividade do colaborador.

Leitura recomendada: People Analytics: conheça o método que está alavancando empresas

Os benefícios de uma boa e bem definida cultura organizacional

Entenda quais são os principais impactos de uma cultura positiva.

Recrutamento e seleção aprimorado

Quando a empresa sabe quem é, fica muito mais fácil descobrir se um candidato se encaixa ou não na empresa. Inclusive, muitas empresas estão valorizando mais o fit cultural de um candidato do que seu currículo. 

Uma boa dica que a seleção e recrutamento estão alinhados com a os objetivos e valores da empresa são as taxas de turnover, ou seja, a média de pessoas que são afastadas da sua empresa. Você pode entender melhor como isso afeta sua empresa aqui.

Colaboradores mais produtivos

Quando a empresa valoriza o bem-estar e a carreira dos seus colaboradores, eles sentem-se mais motivados em dar o seu melhor. 

Um ambiente positivo sempre mantém a transparência entre colaboradores, equipes e gestores, e isso aumenta a sensação de pertencimento das pessoas à empresa.

Dessa forma, o trabalho realmente passa a fazer sentido para os colaboradores, que conseguem ter a visão ampla do impacto do seu trabalho no workflow da empresa. Assim, o crescimento profissional é potencializado, o que influencia diretamente na rentabilidade do negócio fazendo com que ambos cresçam lado a lado. 

Pode ser interessante para você: Workflow: descubra como funciona [GUIA]

Alinhamento de objetivos 

Uma boa cultura organizacional significa manter as equipes alinhadas, para que todo mundo caminhe para atingir as mesmas metas. E todo mundo indo na mesma direção traz melhores resultados do que se cada um puxar para um lado, né? 

Então, quando os seus clientes visitarem o perfil da sua empresa em uma rede social, vão encontrar o mesmo tom e perspectiva que receberão no atendimento, por exemplo. Isso aumenta a confiança em sua marca, uma vez que colaboradores e equipes estejam em equilíbrio, o relacionamento com os clientes também é otimizado.

Quais são os tipos de cultura organizacional?

É comum que a cultura organizacional comece a se formar naturalmente, a partir da rotina que a empresa está mantendo. Por isso, é importante estabelecer práticas claras e positivas no ambiente de trabalho. Por outro lado, teoricamente existem 4 tipos de cultura organizacional, e vamos falar sobre cada uma delas agora.

Cultura do poder 

Esse modelo é muito conhecido, mas pode estar ultrapassado em alguns setores, e não funcionar de maneira esperada nos dias de hoje.

A cultura do poder baseia-se na ideia de liderança individual e centralização de poder. Nesse caso, o ambiente se torna competitivo, pois todos precisam atingir resultados de maneira individual. 

Aqui, a cultura da empresa pode influenciar na produtividade dos seus funcionários, impactando diretamente nas suas entregas. 

Nesse formato, é comum ocorrerem casos de burnout.

Cultura de papéis

Assim como a anterior, a cultura de papéis também é ultrapassada, além de influenciar a proatividade e desenvolvimento dos colaboradores.

Nesse caso, as funções são bem delimitadas e inflexíveis, e na maioria das vezes as empresas que possuem essa cultura estão buscando evitar erros e desorganização. 

Por outro lado, o enrijecimento dos papéis em um negócio acaba limitando as possibilidades de inovação e aprendizagem dos colaboradores. Por isso, o ambiente acaba ficando estagnado e burocrático.

Com isso, é comum que haja a perda de produtividade entre as equipes, afinal, a falta de perspectiva de crescimento desmotiva os colaboradores.

Cultura de tarefas

Esse tipo de cultura organizacional é focado na execução de tarefas, e por isso empresas com esse modelo de cultura costumam procurar profissionais qualificados para fazer parte do time. 

Dessa forma, as colaboradores costumam ser auto suficientes e proativos, além de terem a flexibilidade para explorar várias possíveis soluções para uma atividade. 

Por isso, a cultura de tarefas favorece um ambiente criativo, e essa valorização da inovação ajuda a manter os colaboradores engajados.

Cultura de pessoas

Empresas com uma cultura organizacional voltada para a gestão de pessoas costumam ter colaboradores engajados e motivados, afinal o bem estar da equipe é visto como prioridade. 

Muito comum em startups e empresas mais modernas, essa cultura valoriza a inovação, estimulando sempre que possível seus colaboradores a pensarem fora da caixa. 

Uma das maiores vantagens desse modelo é que o colaborador é estimulado a se desenvolver e crescer com a empresa, o que favorece a retenção de talentos e preparação de líderes.

Como descobrir como é a cultura organizacional da minha empresa?

A cultura organizacional pode ter várias características, algumas mensuráveis, outras nem tanto. Cada empresa tem suas particularidades, mas existem alguns pontos básicos, como:

  • Inovação e tomada de riscos: o quanto sua empresa está investindo em inovação? No caso, é importante refletir se os colaboradores são incentivados ou não a pensar fora da caixa.
  • Busca por resultados: sua empresa é focada em alcançar objetivos? Nesse sentido, a forma com que a empresa busca alcançar os objetivos também deve ser apontado.
  • Orientação para pessoas: de que maneira os processos estão afetando as pessoas e sua produtividade no trabalho? Prestar atenção à esse fato costuma criar um ambiente de trabalho mais saudável, e é iniciado desde o processo de recrutamento e seleção.
  • Favorecimento de equipes: como as atividades são distribuídas entre colaboradores e equipes? Nesse caso, quanto mais a organização entre equipes é orientada, maior a produtividade.
  • Agressividade positiva: o quanto as pessoas são estimuladas a serem competitivas pensando fora da caixa? Aqui, a agressividade e competitividade não significam a criação de um ambiente hostil, e sim a capacidade da equipe de criar novas soluções e terem uma posição competitiva em relação ao mercado, não entre colaboradores.

E como descobrir essas características em sua empresa?

Segundo o fundador da Endeavor, Edson Rigonatti, existem 8 perguntas que, ao responder, você consegue ir delineando a sua cultura organizacional atual. Confira:

  • Nós somos missionários os mercenários? Ou seja, sua empresa é focada em uma causa, ou em eficiência e receita?
  • Tudo acontece de forma estruturada ou há flexibilidade nos processos? 
  • Refletimos sobre as soluções de um problema, ou aprendemos enquanto executamos?
  • Valorizamos o controle, ou delegamos de maneira eficiente?
  • Somos cautelosos, ou há permissão para agir com riscos?
  • Ao lidar com pessoas, somos diplomáticos ou diretos?
  • As pessoas trabalham em grupo ou costumam a ser individualistas?
  • Vale mais o que acontece dentro ou fora da empresa?

Ainda segundo Rigonatti, vale lembrar que não existem respostas certas ou erradas, e dificilmente elas são binárias. Ou seja: descobrir a identidade da sua empresa não é simples, então reflita sobre isso da forma mais completa possível. 

Além disso, existem pontos que apontam para uma cultura organizacional forte e positiva, ou para uma tóxica. Veja na tabela:

Diferenças cultura organizacional tóxica e forte

Como criar uma boa cultura organizacional?

Para começar, você deve ter em mente a visão, missão e os valores da empresa. Desse modo, é possível visualizar o que a empresa deve ser e onde ela quer chegar. 

Um ponto importante é a compreensão de como os seus colaboradores vêem a empresa, o que eles sentem em relação ao trabalho. Assim é possível entender o que a empresa está transmitindo e projetando o que ela gostaria de passar. 

Como falamos, a cultura organizacional é como uma identidade da sua empresa, carregada por pessoas que fazem parte dela. Então, para que sua estratégia funcione, é necessário manter uma comunicação clara e transparente com os seus colaboradores. Afinal, para que haja uma boa cultura na empresa, é preciso que todos estejam alinhados.  

Leia também: Comunicação Interna: quais são os impactos na empresa? 

Sendo assim, para que a implantação da cultura funcione como o esperado, facilite a compreensão das diretrizes e práticas internas através de documentos e apresentações detalhadas e acessíveis à todos os colaboradores. Além disso, esteja sempre aberto a responder dúvidas, ouvir feedbacks e adaptar o que for necessário. 

O departamento de recursos humanos e gestores devem acompanhar de perto o desenvolvimento da cultura, cuidando sempre para reforçar práticas recomendadas e positivas, seja na rotina de trabalho ou em reuniões, por exemplo. 

Por mais que retenção de talentos seja algo positivo, a cultura organizacional também é reforçada por quem se desliga da empresa: afinal, isso define o que é aceitável ou não, o que é alcançável ou não.

Não tenha medo de inovar

Atualmente, uma boa cultura organizacional muitas vezes funciona como base para toda a empresa. A partir dela, são definidas as ações como negócio, e como equipe. 

Se por acaso sua empresa está atuando com culturas não muito saudáveis, uma mudança de rumo pode parecer radical, mas também pode trazer resultados mais positivos do que o esperado. 

Quanto mais voltada ao bem estar, maiores são as chances de obter sucesso em suas ações. Afinal, de que adianta ser super seletivo com candidatos, mas não conseguir engajar e motivá-los? 

Além disso, não basta um ambiente de trabalho descontraído, com jogos e uma máquina de chopp, se a saúde mental do colaborador não é colocada em primeiro lugar.

E você, como deseja formatar a cultura organizacional da sua empresa? Conte pra gente! 🙂


Foto: RawPixel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image